Reveillon da Natalia no Tahiti

A Natalia esteve no começo do ano no Tahiti e nos conta como foi a experiência. Muito obrigada, querida. Desejo toda a felicidade ...




A Natalia esteve no começo do ano no Tahiti e nos conta como foi a experiência.
Muito obrigada, querida. Desejo toda a felicidade do mundo ao casal.
Beijos, 
Andressa


Eu e meu marido estávamos planejando nosso reveillon e, como sempre fazemos, pegamos nossa listinha de lugares que queremos conhecer e iniciamos nossa pesquisa na internet para compararmos alguns destinos, ver preços, etc. O Tahiti era um sonho. Lendo o seu blog, nossa vontade de conhecer o paraíso só aumentou.

Foi então que decidimos tentar realizar esse sonho e começamos a pesquisar preços de hotéis e passagens aéreas. Tomamos um susto com o preço da passagem pois é uma parte bem cara – mesmo para uma viagem que nós já imaginávamos que seria cara. Depois de muita pesquisa  finalmente fechamos as passagens.

Em seguida começou nossa difícil decisão dos locais que visitaríamos. Pedimos opiniões (a sua e a de um amigo que passou lá sua lua de mel), conversamos, pesquisamos e decidimos ficar apenas em Bora Bora. Como teríamos 7 noites no Tahiti, poderíamos ter dividido esse tempo entre Bora Bora e outra ilha mas perderíamos quase um dia inteiro nos deslocando. Os voos que ligam as ilhas não são longos mas se computarmos fechar as malas, fazer check out, pegar o barco até o aeroporto, esperar cerca de 1 hora até o embarque, decolar, pousar, pegar as malas, pegar novo trasnfer até outro hotel, fazer check in, abrir as malas e relaxar, perde-se muito tempo. Em uma outra experiência passada, resolvemos conhecer mais lugares e dividir a viagem entre 3 ilhas bem legais deixando a mais legal para o fim da viagem. Quando chegamos na ilha principal nós sentimos um leve arrependimento de não termos ficado todo o tempo na “mais maravilhosa” de todas. Também partimos do princípio de que não dá para sentir saudade do que a gente não conhece e resolvemos ficar todos os dias em Bora Bora.

Depois dessa decisão, começou a etapa de escolher o hotel. Assistimos inúmeros vídeos no youtube, pesquisamos no seu blog, no Trip Advisor, Expedia e uma infinidade de outros sites (viva o Google!). A Amelia foi perfeita e crucial neste momento. Cotou hotéis, deu dicas, sugestões, buscava sempre uma maneira de resolver nossas dúvidas. Tínhamos muita vontade de conhecer o Four Seasons mas o preço – que já é muito salgado – estava ainda mais inflacionado por ser fim de ano. Seguindo seu conselho, fechamos o Intercontinental Thalasso. Fizemos também o cartão Ambassador e ganhamos upgrade no nosso bangalô. Apesar do hotel estar cheio, mandamos e-mail e na mesma hora confirmaram nosso upgrade - pura alegria. O cartão vale muito a pena, ficamos em um bangalô SUPER bem localizado. O único problema é que quanto mais bem localizado, mais longe do hotel em si, mas vale cada longa caminhada até a sede.

Depois de tudo decidido, era hora de planejar a mala e, mais uma vez orientada por suas dicas, comprei sapatilhas para pisar no mar chão cheio de pedras, renovei o estoque de protetor solar e comprei uma case a prova d`água para a máquina fotográfica.

Tudo pronto, finalmente chegou o dia de embarcarmos. Viajamos no dia 28/12 para Santiago, ficamos no Chile até o dia 31/12 pois não havia voo antes. No último dia do ano, embarcamos para o Tahiti fazendo escala na Ilha de Páscoa.

Antes que eu me esqueça de comentar, gostamos bastante dos aviões da Lan, bem modernos, diversas opções de entreterimento a bordo como jogos, filmes, seriados, etc.

Desembarcamos em Papeete, pegamos as malas e chegamos a tempo de passar a virada do ano na recepção do hotel – ficamos no Intercontinental. Demos uma voltinha pelo hotel e fomos dormir pois no dia 01/01 pegamos nosso voo para Bora Bora.

 Só o voo para Bora Bora já é algo maravilhoso, né?  Fomos no fim da manhã e ficamos maravilhados com a vista extraordinária da ilha. Desembarcamos e pegamos o barco até nosso hotel. Recepção maravilhosa, tivemos prioridade no check in por causa do cartão Ambassador. Além disso, o horário de entrada nos quartos era 14h mas não precisamos esperar, nosso quarto já estava pronto.

Que emoção entrar no bangalô! Uma delícia, tudo lindo, amplo, novo, bem cuidado. O Intercontinental Thalasso realmente só se compara com o Four Seasons. O hotel é todo novo, tem uma estrutura maravilhosa, a grande maioria dos funcionários são super educados e atenciosos. Alguns hotéis estão bem decadentes por lá, ficamos sabendo que o Club Med até mesmo fechou as portas.

Uma vez instalados no paraíso, começamos a nos divertir. Fizemos o passeio de barco que reservamos no concirege do hotel. Fomos só nós dois no barco com 2 tripulantes passear ao redor da ilha. Durante o passeio paramos para alimentar e nadar com os tubarões, depois com as arraias e depois fizemos snorkel em 2 pontos diferentes. O primeiro foi com tubarões maiores, eles chamam de lemon shark, não sei qual seria o nome em português e o outro com a arraia manta (que não deu o ar da sua graça nesse dia). Depois almoçamos maravilhosamente bem com os pés na dentro d`água num motu “só nosso”, tomamos vinho branco e tudo. Uma delícia. Eles montam uma mesa linda de almoço dentro da água e servem comida local fresca bem gostosa. É o passeio que mais gostei em toda a viagem.

Também fizemos o passeio de jet-ski, bem legal também. Saímos para mergulhar com cilindro com o pessoal da loja de mergulho do próprio hotel – credenciado pela PADI. Vimos muitos peixes, arraia manta e tubarões.

Agora chego na parte triste do meu relato.... pegamos chuva, muita chuva. Nós sabíamos que dezembro e janeiro é temporada de chuvas mas imaginávamos, por experiência em outras viagens durante período chuvoso de 2 outras ilhas, que se pegássemos chuva, seria uma rajada de alguns minutos e depois alternância de períodos de nublado, chuviscos e mas sempre predomínio de sol. Mas acabamos pegamos 3 dias de chuva, sendo que um desses dias foi de temporal, chuva torrencial com raios o dia inteiro. Acabamos aproveitando para descansar, ler e até assistimos alguns filmes. Mas viajar para tão longe, pagar tão caro e pegar tanta chuva é muito triste. Realmente eu não recomendaria visitar o Tahiti neste período, acho que não vale a pena correr esse risco. Depois ficamos sabendo que toda aquela chuva não era comum mesmo e parece que um ciclone em uma ilha perto da Austrália estava causando aquele volume absurdo de chuva no Tahiti. Foi tanta chuva que a parte do concierge do Hotel e do bar teve problemas e ficou fechada pelo resto de tempo que tivemos lá.

Mas mesmo assim nossa viagem foi maravilhosa. Como ficamos muitos dias em Bora Bora fomos mais de uma vez ao centrinho. Aproveitando o assunto, tem um supermercado super simples mas que vende de tudo, inclusive bebidas para todos os gostos. Passamos por lá e nos abastecemos pois a bebida no hotel é muito, muito, muito cara. Os quartos possuem balde de gelo, taças, abridor e o que é melhor: máquinas de gelo nos corredores. Vale muito a pena. Além disso, o supermercado também vende o Monoi, as favas de baunilha e cartões postais por precinhos muito mais camaradas que nas outras lojinhas.

No centrinho também existem algumas lojinhas de artesanatos, de muitas de pérolas, algumas galerias e até uma pequena livraria cheia de livros bacanas sobre arte e fotografias do Tahiti. Realmente vale a pena comprar pérola lá. No hotel tem a loja de uma designer bem famosa por lá e ela realmente desenha algumas peças bem legais mas se você deseja comprar apenas a pérola, vale a pena ir no centro. Tem algumas lojas por lá, dá para escolher bastante.

Quanto à alimentação, achei os restaurantes do hotel muito bons. Todos os dias a comida estava perfeita e o café da manhã era simplesmente maravilhoso. Pães, panquecas, omeletes, bolos, iogurte, geleias caseiras, frutas e sucos deliciosos faziam a nossa festa matinal. Realmente é tudo muito caro e não vale a pena ficar lá sem ter a meia pensão incluída na diária.

A estrutura do hotel é excelente, a moça da loja de pérolas fez tanta propaganda do SPA que resolvi testar nunha manhã chuvosa. Apesar de cara, a massagem é uma delícia, o chão da sala é de vidro e deitada na maca dá pra ver o fundo do mar e os peixes. Além disso, você pode usar a estrutura do SPA como sauna, piscina gelada de água do mar, entre outros.

Depois de relaxar bastante chega a hora de voltar pra casa. A volta foi longa, eram 5 voos, 6 aeroportos (não moro em SP). Fizemos a viagem de volta Bora Bora x Papeete, Papeete x Ilha de Pascoa x Santiago e dormimos no Chile. No outro dia de manhã embarcamos para o Brasil e posso dizer que se não fosse a noite dormida no Chile, não sei se aguentaria. Realmente vale a pena parar um pouco, nem que sejam algumas horas para tomar um banho e deitar.

Chegamos em casa cansados,  com o fuso desregulado e super felizes de termos vivido momentos tão lindos. Bora Bora é uma ilha maravilhosa, paradisíaca, uma delícia para curtir a natureza e relaxar. Realmente, é a viagem dos sonhos. Tomara que um dia tenhamos a oportunidade de voltar.

Andressa, você é muito querida, atenciosa e sabe tudo sobre o Tahiti. Ter lido seu blog e suas dicas antes de tomar as decisões fez toda a diferença na nossa viagem. MUITO OBRIGADA pelo carinho e atenção! Um grande beijo.

Natália


COMPARTILHE

TAGS:

sobre a autora

Posts Relacionados

7 comentários

  1. Realmente as passagens estão muito caras.

    Estamos quase fechando a parte terrestre na agência que a Andressa indicou, porém, a parte aérea pode impactar nosso sonho de passar a Lua de Mel no Tahiti.

    É incrivel como a flutuação dos valores mudam, já chegou a alterar mil reais por pessoa em apenas 1 dia.

    Bem vou continuar pesquisando e acompanhado os preços para ver se caem.

    abs.
    Adriano Martin

    ResponderExcluir
  2. Que viagem de sonhos. Pena a chuva. Gosto sempre de começar a programação de uma viagem pela melhor época para conhecer determinado país. Isso faz uma grande diferença na viagem. Tive uma amiga que foi ao Tahiti e só pegou chuva. Coitada. Para piorar, o marido dela é agitadíssimo e teve que ficar o tempo todo preso no hotel. Resultado: eles não conseguem falar muito bem do Tahiti - que é um paraíso!!!!

    Adoro ouvir relatos desse cantinho especial do mundo.

    Bj

    Claudia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Claudia,

      Obrigada pela visita.
      Sempre digo que os lugares tendem a ser mais belos com sol, dirá um paraiso tropical.
      A temporada de chuvas vai de dezembro a março, mas muita gente que viajou nessa temporada nao viu nem o céu nublado. O tempo anda doido!
      Imagine só pegar chuva no Tahiti, onde nao há nada para fazer???
      Seu blog está super legal e, para quem nao conhece, fica a dica: www.viajarpelomundo.com

      Beijos,
      Andressa

      Excluir
  3. Olá Andressa,

    Fiquei sabendo desse blog através de uma amiga (a Thaís) que casou no ano passado, e, como eu, somos de Niterói-RJ.

    Caso no dia 31/08 e, até então, estava na dúvida se viajaria para a Polinésia - até então pois depois de ver alguns posts do blog não tenho mais dúvida.

    Enfim, vou passar acompanhar aqui com mais frequencia.

    Porém, para começar, gostaria de saber de você e daqueles que frequentam o blog, se é viável fazer toda programação sem agências.

    Eu pretendo comprar minha passagem por milhagem. Liguei hoje para LAN e não consegui falar com o LAN PASS. É verdade que o telefone no site da LAN conta como ligação para o Chile?

    Abços!

    Antonio Almeida

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Antonio,

      Qual seu e-mail, por gentileza?

      Abs,
      Andressa

      Excluir
    2. antonioalmeida_@hotmail.com

      Obrigado

      Excluir
  4. Por favor, me diga qual agência de viagem você indica para pacotes pra Bora Bora? Estou negociando com uma agente no Tahiti, mas teria que pagar IOF de 6,38% pra pagar no cartão... obrigada! Meu email é lilicaplanet@hotmail.com ou esse do gmail.

    ResponderExcluir